Mercado imobiliário
18.ago.2013
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Mercado imobiliário: a palavra-chave do setor é sustentabilidade

Os chamados prédios verdes ganham espaço e, atualmente, não são somente um diferencial, mas uma necessidade

Imagem Mercado imobiliário: a palavra-chave do setor é sustentabilidade
Logo Copiar Blog Notícia

O mercado imobiliário vive de ciclos. Há alguns anos, sinônimo de sucesso eram os prédios funcionais, aqueles que conseguiam aliar o melhor aproveitamento de espaço com preços atrativos. Depois vieram os edifícios luxuosos, chegaram os condomínios inteligentes e passaram os condomínios-clubes. Não que o surgimento de uma tendência, mate ou enfraqueça a outra.

Uma novidade pode se tornar referência, se ela tiver uma propriedade fundamental para o setor: atrair compradores. E o comprador é atraído para aquilo que é bom e que atenda uma necessidade sua. A mais nova tendência são os chamados green building, ou prédios sustentáveis. Aliás, mais que uma inovação construtiva, essa é uma necessidade para quem compra, quem vende e quem usa.

Seja em prédios comerciais, seja em residenciais a construção sustentável é uma preocupação que, hoje, todo empreendimento deve ter. Mesmo que o condomínio não seja totalmente verde, ele deve ter, em parte, o conceito - e as propriedades - em si.

Afinal, o que são ? O termo surgiu na década de 1990, mas teve grande aceitação nos últimos anos. São aqueles empreendimentos que utilizam alta tecnologia para reduzir os impactos negativos causados pela construção no meio-ambiente promovendo benefícios sociais, econômicos, ambientais e para a saúde humana, durante todo o processo de concepção, execução e operação.

Para um prédio levar o selo tem que conseguir a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), dada pela organização não governamental Green Building Council, que tem uma subsidiária no Brasil, o GBC Brasil. Esses edifícios sustentáveis, entre outras características, usam materiais reciclados na construção; priorizam madeira certificada; iluminação é feita com lâmpadas LED que são mais econômicas; a parte hidráulica preza a economia; e há reuso de água, bem como de energia solar.

Leia também:
Mooca comemora 457 anos
Mercado Imobiliário - Vendas de novos imóveis crescem 46% em São Paulo
Mercado imobiliário: Projeto prevê menos tempo para compra do imóvel

Importante saber que os empreendedores brasileiros entenderam esse conceito e o implantam. Tanto que, hoje, dois condomínios brasileiros estão entre os 18 com mais sustentáveis em todo o mundo, de acordo com o GBC. Ainda em fase de construção, estão: o Parque da Cidade, empreendimento da Odebrecht, no Brooklin (zona sul de São Paulo), e o Pedra Branca, em Santa Catariana.

Por todo o Brasil - particularmente em São Paulo - começam a aparecer em maior profusão os green building. Essa é uma tendência que, embora parecendo mais cara, não é, e que pode ser classificada como "do bem". Ou seja, mais que modismo, os edifícios sustentáveis são uma realidade que veio para ficar. Não demora muito, ninguém construirá ou venderá uma unidade que não esteja em um condomínio assim. E mais, fora do Brasil já começam a acontecer os bairros sustentáveis. E isso deve aparecer logo por aqui. Vale ficar atento.


#MERCADO IMOBILIÁRIO
Fonte:
ZL Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Leste de São Paulo
www.zlimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Financiamento Imobiliário - É possível usar o saldo do FGTS?
Próximo Post >
Cresce venda de novos imóveis

Localizar Notícias

Imagem Localizar Notícias do Blog