Notícias
15.ago.2012
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Guaianases: a aldeia mostra sua força

O bairro está em 38º lugar no ranking dos 96 distritos paulistanos por população

Imagem Guaianases: a aldeia mostra sua força
Logo Copiar Blog Notícia
De acordo com o último Censo, Guaianases tem uma população de mai de 111 mil habitantes, que se dividem em uma área de 8,6 km2, o que dá uma média de 12 habitantes por metro quadrado. O bairro está em 38º lugar no ranking dos 96 distritos paulistanos por população e em 85º em índice de Desenvolvimento Humano. O que é considerado médio. Localizado no extremo leste de São Paulo, já foi apontado como um dos bairros mais precários da cidade, ao lado de Jardim Ângela, Grajaú, Pedreira, Jardim São Luís e Jardim Helena. Mas isso é coisa do passado. 
Um pouco de história. A formação do bairro de Guaianases é a mesma de Itaquera, ambos nascidos de aldeamentos indígenas e do esforço dos jesuítas na catequese. O aldeamento prosseguiu até 1920, com a extinção total dos índios. As terras foram "passadas" para brancos particulares. Guaianases tem a altitude de 650 metros. No início, tornaram-se parada e pousada de viajantes e, como sempre, ergueu-se uma igreja. Dessa vez, em homenagem a Santa Cruz do Lajeado (é como ficou conhecido: Lajeado). 
O local cresceu lentamente com a instalação de diversas olarias nas imediações e com a chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Norte. A partir dos anos 1940, o bairro se tornou mais populoso e em 1948 recebeu oficialmente o nome de Guaianases, que era a tribo que o habitava. A grafia Guaianazes, embora frequente e usada por vezes até mesmo pelos governos municipal e estadual, é incorreta segundo as normas ortográficas em vigor. O nome da região origina-se no dos índios guaianás, do ramo caingangue, que habitavam a região.
Hoje, a região conta com distritos mais desenvolvidos, como a região central e o Jardim São Paulo; que tem duas faculdades, um Hospital Geral público, uma Escola Técnica, e casas de classe média-baixa com rendas por pessoas menos de um salário mínimo. Segundo dados da Fundação Seade no ano 2010, 60,2% dos chefes de família recebem no máximo três salários mínimos. Mais de 15% dos 400 mil moradores viviam em regiões invadidas (favelas), número mais alto que do município como um todo: 11%. A taxa de analfabetismo é de 7,7% quando a média da cidade é de 4,88% e as taxas de defasagem escolar também são altas, muito embora não faltem vagas nas escolas municipais da região, segundo a subprefeitura. 
A grande população e a falta de indústrias no local deram fama a Guaianases de "bairro-dormitório”. Fama que vem mudando com a entrada de empresas no bairro com a projeção positiva de reflexos quando o Complexo Jacu-Pêssego for colocado em prática. A região ainda sofre com favelas e ocupações irregulares, mas a prefeitura, ao que tudo indica, parece que procura uma solução, com a regularização e pavimentação dessas áreas. 
Do outro lado, o setor imobiliário, principalmente, o local tem descoberto alternativas e a região começou, nos últimos anos, a receber lançamentos, principalmente destinados às classes baixa e média, notadamente pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”. O bairro ainda tem muitos terrenos para construção e com preços interessantes para o setor. Com isso, muitos lançamentos aconteceram nos últimos e muitos empreendimentos estão programados. 
De acordo com levantamentos feitos por nossa equipe em sites e classificados de imóveis, e nas ofertas do próprio portal ZL Imóvel, Guaianases ainda tem predominância de casas e sobrados e, como em muitas regiões da zona leste, há muito imóveis nesse nicho sendo construídos. Em média, para uma casa de dois dormitórios nova, o metro quadrado está entre R$ 2 mil e R$ 2,7 mil; já uma unidade usada, fica entre R$ 2,1 mil e R$ 2,5 mil. Os sobrados novos foram encontrados de R$ 2,5 mil a R$ 4,5 mil. Os usados, de R$ 1,6 mil a R$ 2,3 mil. Para aluguel, o metro quadrados dos dois tipos de imóveis, em média, está R$ 10.
No caso de apartamentos, também de dois dormitórios, as unidades novas são oferecidas de R$ 2,2 mil a R$ 2,7 mil o m2. Já os imóveis usados, de R$ 1,4 mil a R$ 2,8 mil. Um ponto comercial (loja, salão etc.), para venda, tem preço entre R$ 1,5 mil e R$ 2 mil. Os terrenos, geralmente, imóveis antigos e abandonados, podem ser comprados com valores de R$ 260 a R$ 616.
Guaianases é um dos últimos pontos da zona leste com preços de terrenos ainda bem convidativos. Como possui uma infraestrutura de transporte muito boa e fácil acesso tanto para regiões centrais, como para cidades vizinhas, é uma excelente alternativa para quem pensa em uma nova opção. 

Fonte: Autor - Marco Barone em 18/06/2012 
#NOTÍCIAS
Fonte:
ZL Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Leste de São Paulo
www.zlimovel.com.br
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Prefeitura inicia processo de concessão nos Parques
Próximo Post >
Inscrições abertas para moradias populares no Centro

Localizar Notícias

Imagem Localizar Notícias do Blog