Notícias
15.ago.2012
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

A tradição e a novidade se unem na Penha

as unidades novas são oferecidas de R$ 4 mil a R$ 6,9 mil o m²

Imagem A tradição e a novidade se unem na Penha
Logo Copiar Blog Notícia
Se há um bairro da zona leste que não pode reclamar de não ser interessante é a Penha. Um dos mais antigos bairros da cidade, surgido entre 1668 e 1684, já teve, em sua origem, uma forte tendência ao crescimento e apego às raízes. Conta a lenda que um francês, católico devoto, seguia viagem de São Paulo ao Rio de Janeiro carregando consigo uma imagem de Nossa Senhora. Durante a caminhada ele pernoitou no alto de uma colina ainda sem nome (penha significa penhasco, rocha, rochedo), e no dia seguinte retomou seu trajeto até dar por falta da imagem. Assustado, tratou de retornar pelo mesmo caminho e encontrou a estátua no alto da colina. 
No dia seguinte a estátua sumiu novamente durante o sono do viajante, que entristecido, retornou e encontrou novamente a estátua no alto da colina, o que foi interpretado pelo francês como vontade da santa, que havia escolhido o local para se estabelecer. Nesse local foi erguida a Igreja de Nossa Senhora da Penha, finalizada em 1667, e em torno dela que cresceu o povoamento do bairro.
A história da Penha é povoada de histórias de progresso. O comércio sempre foi forte, mas com a inauguração do Shopping Center Penha, um dos maiores centros de compras da região, em 1992, o setor cresceu ainda mais. O bairro é passagem de outros bairros, por isso o transporte sempre foi muito bom, mas com o metrô – o bairro é atendido pelas estações Penha, Vila Matilde, Guilhermina-Esperança e Patriarca –, além de passagem, passou a ser destino de negócios e empreendimentos imobiliários.
Tradição e modernidade sempre andaram juntas na Penha. Até o início do século 20, não passava de um pequeno vilarejo com algumas chácaras. Com o processo de industrialização e urbanização da cidade, o bairro passou a receber parte da população operária, o que o caracterizou até meados da década de 60 como um bairro estritamente "dormitório". A inauguração da estação Penha do metrô, em 1986, deu novo fôlego à modernização, propiciando o desenvolvimento de uma infraestrutura praticamente autosuficiente para região, que conta com muitos colégios públicos e particulares, um sistema de transporte considerável, hospitais, bibliotecas e etc. De acordo com o Censo de 2010, o bairro possui quase 120 mil moradores (33º maior da cidade), espalhados em uma área de 11,3 km2. A população tem uma renda média de R$ 1.244,65 e um elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
Esse progresso chamou a atenção dos empreendedores e provocou um circulo virtuoso no bairro. O crescimento trouxe mais empreendimentos residenciais e comerciais, que trouxeram progresso, que fez com que houvesse mais lançamento. Esse fenômeno começou nos final dos anos 1980 e dura ainda hoje. Quem anda pelo bairro percebe novos edifícios residenciais, sobrados e condomínios por quase todas as ruas. O bairro essencialmente residencial também é um importante centro comercial para zona leste da cidade, bem como com escritórios diversos.
De acordo com levantamentos feitos por nossa equipe em sites e classificados de imóveis, e nas ofertas do próprio portal ZL Imóvel, a Penha tem um mercado bastante eclético. No passado, as casas e sobrados predominavam, mas, nos últimos anos, os prédios, condomínios de casas e sobrados são o forte nos lançamentos. As casas térreas ainda tem um forte mercado, contudo já não são mais destaque, a ponto de só encontrarmos unidades usadas. Em média, para uma casa de dois dormitórios usada, o metro quadrado está entre R$ 2,7 mil e R$ 3,3 mil. Já para sobrados, os usados variam entre 3 mil e R$ 3,3 mil, os novos podem ser encontrados entre R$ 3,2 mil e R$ 4,8 mil o metro quadrado. As casas em condomínio têm valor de R$ 2,9 mil a R$ 3,3 mil. Para aluguel, o metro quadrado dos dois tipos de imóveis, em média, está R$ 13 a 20.
No caso de apartamentos, também de dois dormitórios, as unidades novas são oferecidas de R$ 4 mil a R$ 6,9 mil o m². Já os imóveis usados, de R$ 2,7 mil a R$ 4,3 mil. A locação sai, em média, R$ 20 o metro quadrado. Um ponto comercial (loja, salão etc.), para venda, tem preço entre R$ 2,6 mil e R$ 3 mil. Na locação, os preços variam entre R$ R$ 10 e R$ 20. Os terrenos, geralmente, imóveis antigos e abandonados, podem ser comprados com valores de R$ 1,8 a R$ 4,4 mil.
A Penha cresce e o mercado agradece. Ele é e responsável e o grande beneficiário desse movimento. Viva o circulo virtuoso do progresso. 

Fonte: Autor - Marco Barone em 08/07/2012 
#NOTÍCIAS
Fonte:
ZL Imóvel
O Portal de Imóvel da Zona Leste de São Paulo
www.zlimovel.com.br
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Prefeitura inicia processo de concessão nos Parques
Próximo Post >
Inscrições abertas para moradias populares no Centro

Localizar Notícias

Imagem Localizar Notícias do Blog